Empresas apresentam resultados e aprendizados no encerramento de ciclo da CiViA

Na última oficina do ano, além de compartilhar aprendizados, também foi relatada experiência no congresso LCM 21/12/2017
COMPARTILHE

As empresas participantes da Iniciativa Ciclo de Vida Aplicado (CiViA) encontraram-se na última oficina do ano, no dia 7 de dezembro, para apresentar os resultados de seus projetos. Após um ciclo de aprendizados nas oficinas, os participantes puderam compartilhar o conhecimento obtido na prática da execução dos estudos de Avaliação de Ciclo de Vida (ACV). Além disso, a oficina também serviu como um espaço para as empresas praticarem as formas de comunicar os resultados e aprendizados dos projetos de pegada de carbono e pegada hídrica. 

Apresentaram seus projetos empresas que já vinham trabalhando em ciclos anteriores e que já usam os resultados dos estudos de forma estratégica, como é o caso da Odebrecht Agroindustrial. Havia também empresas que deram seus primeiros passos na CiViA, como a Ticket, MRV Engenharia e Embraco. Ecorodovias e Kimberly-Clark trouxeram a experiência de novos desafios com projetos abarcando novos produtos. Já o Grupo Moura, Santos Brasil e Bradesco trouxeram a visão de quem dependia muito da sua cadeia de valor para conseguir desenvolver um bom projeto.

Os desafios recorrentes comentados durante a execução dos projetos foram a equipe enxuta de sustentabilidade e a fase de engajamento de fornecedores ou outros setores da empresa. “Todos têm um resultado para apresentar, não necessariamente um número: o resultado do esforço, dos aprendizados e dificuldades ao longo do ano. Muitas vezes o número é apenas uma parte do processo, porque depois temos que interpretá-lo”, comenta Matheus Fernandes, pesquisador do GVces.

“Eu fiquei muito contente em ver todos os casos evoluindo bastante, vários já estão indo na questão da gestão, trazendo o uso dos resultados. Talvez a pergunta que eu mais ouvi hoje foi: como gerar valor para empresa?", afirma a gestora da iniciativa, Beatriz Kiss.


A Oficina contou também com Mônica Alcântara da Odebrecht Agroindustrial que, junto a Beatriz Kiss, relataram a experiência da participação no Life Cycle Management 2017, congresso de gestão de Ciclo de Vida que aconteceu em Luxemburgo em setembro. Foram destacadas a exposição de artigos da equipe e empresas participantes da CiViA, bem como a oportunidade de entrar em contato com conhecimento proveniente de empresas, consultorias e acadêmicos de todo o mundo. O Congresso foi também uma oportunidade de posicionar o Brasil no cenário internacional de ACV.

No ciclo de 2017, a CiViA realizou capacitação em pegada de carbono e pegada hídrica, também foram feitas oficinas sobre comunicação da ACV e rotulagem ambiental e sobre o uso de ferramentas e softwares. Em junho, foi lançado a primeira publicação da iniciativa que compila os aprendizados dos dois primeiros ciclos.

No próximo ciclo, a iniciativa promoverá capacitação em ACV, ampliando as categorias de impacto a serem trabalhadas. Oferecerá também oficinas sobre a relação da ACV com os serviços ecossistêmicos, a relação com a precificação de carbono e a transição de estudos com uma categoria para múltiplas categorias de impacto ambiental. Haverá uma seleção para escolher as empresas que poderão receber apoio da CiViA na realização de estudos piloto de ACV “completa”.

Fotos: Matheus Fernandes/Divulgação GVces